09/04/2016

DIARY.

                                                           
Por um bom tempo tentei me acostumar ao uso de um diário. Perdi a conta de quantos tive na minha infância, mas eu sempre gostei de compartilhar os acontecimentos marcantes, e os nem tanto, com o meu querido diário.

Sabe qual é o problema? Apesar de sempre ter gostado eu nunca consegui criar o hábito. Eu tenho o velho costume de guardar todas as coisas na minha cabeça e não compartilhar com ninguém, nem mesmo com o meu velho diário.

Foram um, dois, cinco, dez... Começava e abandonava. Não era uma coisa que eu queria. É que às vezes eu apenas não conseguia, e ainda tenho uma grande dificuldade de compartilhar.

Sabe qual é a melhor parte de ter vários diários com muitas histórias? Depois de alguns anos você pode achar o seu velho e querido amigo perdido no fundo do armário.

Existe sensação melhor que relembrar sorrisos, sorvete na tarde de domingo, velhos amores e beijos roubados?
Diários sempre vão fazer com que você entre em um grande túnel do tempo e relembre alguns acontecimentos.

A minha grande meta para este ano é voltar a compartilhar com o meu velho amigo de páginas amareladas momentos que daqui a alguns anos eu quero relembrar, e que eu espero que os meus filhos tenham o interesse de ler.

                                            Instagram | Facebook | Snapchat | Twitter 

Um comentário:

  1. Adorei o texto, me fez lembrar coisas boas. Já tive vários diários também, quando começo a anotar pego gosto pela coisa e anoto todo dia. Quando eu terminava um diário, queimava ele porque só escrevia desabafos tristes que não conseguia contar a ninguém. Foi aí que surgiu meu primeiro blog, em 2014. Hoje sou a louca da agenda rsrsrs

    www.propositofeminino.blogspot.com.br

    ResponderExcluir