12/05/2018

VOCÊ PREFERIU NÃO TENTAR


Eu não ando conseguindo admitir para mim mesma o turbilhão de sentimentos que ando sentindo por você, muito menos chegar e dizer. É por isso que decidi escrever a carta que você nunca vai ler.

Seria muito mais fácil começar dizendo "Querido...", mas não vai ser assim que começarei uma das cartas mais importantes que já escrevi. Quero poder contar um pouco de como tudo aconteceu e os motivos para eu começar a fingir que nada está acontecendo. Preciso me despedir...

Foi naquele barzinho que nos conhecemos. Eu com meu vestido preto e um batom vermelho. Você, como sempre, casualmente arrumado e estiloso, acompanhado daquele sorriso que me derreteu desde a primeira vez que o vi. Sem falar no seu cabelo. Adoro o jeito como você o arruma. Sei lá. Pode ser que eu adore tudo em você.

Um, dois, três drinks, sorrisos, conversas, risadas e troca de olhares. As trocas de olhares eram extremamente intensas e instigantes. Eu consegui me sentir em um filme. Sabe aqueles filmes de romance, quando o casal tem uma sintonia incrível e aparentam se conhecer a muito tempo? Então, foi exatamente assim que me senti. Eu estava totalmente envolvida e ainda não sabia. Era nosso primeiro encontro, mas nem parecia.

Você pegou na minha mão, me tirou para dançar e bem sem avisar me roubou um beijo. A sensação do nosso primeiro beijo foi exatamente a de uma montanha russa. Veio aquele frio na barriga, aquela sensação boa. Acho que sensações assim só afloram quando gostamos da outra pessoa.
Eu me senti completa naquele momento. Sabia que tinha achado a tal pessoa certa.

A certeza era apenas minha. Você era a minha pessoa certa, mas eu jamais seria a sua.

O dia no barzinho, o vestido preto, o batom vermelho, o beijo, a sensação de estar em um filme, tudo o que aconteceu na noite e todo o sentimento que criei por você precisou, de alguma forma, tentar ser esquecido.

Sinto muito por não atender a todas as suas expectativas, por talvez não ser a pessoa certa para você, a que você apresentaria para a sua família. Infelizmente não sou perfeita e não posso ficar alimentando um sentimento que vai me levar para o fundo do poço.

O cara do barzinho não existe mais. Eu acabei conhecendo uma outra face dele. Talvez eu não tenha gostado muito, mas preciso entender e aceitar que nem sempre as coisas saem como gostaríamos. Não é sua culpa e nem minha. Eu só não posso ficar aqui esperando a volta do cara do barzinho. Esse, com certeza, não existe mais.

Você não quis tentar. Tão pouco quis dar a chance para o que poderia acontecer. Se privou de gostar, de tentar ter algo legal. Não se achou capaz de amar. Perdeu por medo. Por ter aquele medo bobo de tentar, de se arriscar e acabar errando ou acertando. Não teria como dizer...

Hoje eu posso afirmar: gostei de você, porém agora não gosto mais. Só ficou a lembrança do que aconteceu e do quanto foi bom. Espero que você esteja bem no lugar que está agora e como as coisas realmente estão.

❯────「」────❮


Acompanhe pelas redes sociais:

Instagram ♥ Facebook ♥ YouTube ♥ Snapchat 

Um comentário:

  1. Esse texto foi um tiro no meu peitooooo! Meu Deus! Conforme fui lendo fui relembrando de certa pessoa que surgiu na minha vida.. que escrita! Que texto! Que sentimento!
    Apesar do “cara do barzinho” não existir mais,poxa... faz tanta falta! ☹️


    https://1mundoparaadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir